Benefícios de se comer Lentilha

0
99

lentilha

 

A lentilha é a leguminosa que menos demora para cozinhar, não sendo necessário deixá-la de molho. Pode ser feita juntamente com o arroz integral ou cozida com rodelas de cenoura, acrescentando-se cheiro verde ao final.
A lentilha tem sido usada como alimento pelos humanos desde longa data. Os restos arqueológicos mais antigos datam de 11.000 a.C. na Síria. Porém sua domesticação aconteceu a partir de 5.000 a.C. na região fértil do oeste Asiático . Daí o cultivo se espalhou para o Nilo e Europa Central através do rio Danúbio. A lentilha está associada com o começo da revolução agrícola, que foi iniciada com a domesticação do trigo, cevada, ervilha e linho. A partir da Idade do Bronze , a lentilha junto com o trigo e a cevada aparecerem como as principais culturas da civilização Mediterrânea. Na Índia , seu cultivo aparece 2.500 a.C e no velho mundo a lentilha atingiu sua atual importância a partir de 3.000 a.C. Na América Latina foi trazida junto com os colonizadores. A Ásia é a região de maior produção (58% da área) seguida da região do norte da África. A lentilha é a mais importante cultura em Bangladesh e Nepal, onde faz parte significativa na dieta da população na Índia, Irã, Turquia, Etiópia, China, Marrocos e Paquistão, que são grandes produtores. Na América Latina, Argentina e Chile são os maiores produtores.
Embora existam 5 espécies de lentilhas , apenas uma delas é cultivada. Por ser uma cultura de clima ameno, gosta de períodos de frio e por isso, só pode ser cultivada nos estados do sul do país.
Nos países do Oriente, a lentilha é consumida normalmente com trigo , produzindo um bom complemento protéico , similar ao nosso arroz com feijão . A lentilha é bom alimento para ser consumido pelas pessoas com anemia por perda de ferro (nos casos de sangramento, durante a gravidez e a lactação), pois possui um bom o teor de ferro, sendo maior que os valores de feijão preto, soja e trigo integral. A lentilha pode e deve fazer parte do cardápio de pessoas com problemas de colesterol alto, prisão de ventre e problemas circulatórios. O valor nutritivo desta leguminosa varia de acordo com a região de cultura, chegando a ter 30% de proteínas. A principal proteína é a globulina, de boa qualidade é parecida com a dos feijões e ervilhas. É boa fonte de vitaminas do complexo B: Tiamina (vitamina B1), riboflavina (vitamina B2), ácido fólico, inositol, ácido pantotênico e colina. Possui sais minerais, como o magnésio, alumínio, cobre, zinco e arsênico. A lentilha é usada geralmente na forma de sopas, patês, bolos salgados. Também é possível produzir um delicioso hambúrguer conforme ensino no capítulo sobre receitas de leguminosas. A vagem verde é usada como verdura. Pode-se utilizar farinha de lentilha misturada com farinha de outros cereais. Na Índia é comercializada como alimento para doentes. Outro modo de consumir as lentilhas, é na forma de brotos. A germinação aumenta o valor biológico das proteínas, ou seja, elas são melhor aproveitadas pelo corpo. Com o processo de germinação, aumentam também o ferro e as vitaminas do complexo B e aparece a vitamina C que não existe na semente seca. Assim, a lentilha germinada pode ser usada com melhor eficiência pelas pessoas que estão com problemas de anemia pois teriam o ferro e a vitamina C necessários para que o corpo possa melhor absorver o ferro de origem vegetal.