Borojoa

0
110

Borojoa ou Borojo

É uma fruta, altamente energética e nutritiva. É comumente utilizada na Colômbia, e está sendo conhecida em outros países, principalmente por suas propriedades afrodisíacas, embora esta característica seja uma das muitas.
Família: Rubiaceae
Nome científico: Borojoa patinoi Cuatrec; Borojoa sorbilis Cuatrec. Ambas as espécies são muito semelhantes, variando os tipos de solo onde crescem.
Origem e distribuição geográfica:
Se assume ser nativo do Amazonas, e que existe um maior número de espécies reportadas. Na Amazônia brasileira existem cinco espécies, em Darien do Panamá são duas espécies, a borojoa panamensis e atlantisensis, ou como chamam os índios Embera: borojoa mijo, o que significa que ele é pequeno. Espécies típicas do gênero são, então, patinoi borojoa Cuatrecasas, localizado na Colômbia. Da mesma forma a borojoa sorbilis da Amazônia brasileira.
Ela é uma fruta silvestre e é cultivado comercialmente. Entre 1948 e 1951, se fez a descoberta da espécie do ponto de vista botânico e taxonômica, pelo Dr. Victor Manuel Patiño, que recolheu as espécies e em Chocó as leva ao taxonomista botânico, Dr. José Cuatrecasas, professor de taxonomia de Colombia University, um padre jesuíta, que é quem a classifica, e em respeito ao Dr. Patiño a batizou de Borojoa Patinoi. Mas Cuatrecasas descobre que não só a espécie é nova para a ciência, mas também de gênero. Em 1953, o Brasil reclassifica a espécie. A Borojoa tem a característica do tecido placentário não tem divisões nem tecido algum, é conivente e convergente. Esta característica faz com que seja específico para esse gênero. Essa característica é agora universalmente aceita.
A fruta borojoa tem de 7 a 12 cm de diâmetro, verde e coloração marrom quando madura. A polpa é marrom, ácida e densa, consistindo principalmente de frutose e glicose de alto conteúdo proteico. Tem um número variável de sementes de 90-600 por fruto. É considerado maduro quando cai no chão, e sua coleta é manual. Frutas estão chegando até quatro quilos.
Para os nativos das selvas de Darién, no Panamá, a borojoa é utilizado como alimento e remédio. O borojoa é uma fonte de energia natural e os ajuda em caminhadas sob alta temperatura sem alimentos, escalar montanhas, explorar florestas e atingir o limite de sua força. Os nativos do local costumam deixar em uma bacia de água as frutas que caem maduras. Esta água se transforma em suco e fornece uma grande fonte de energia.
O fruto não possui efeitos colaterais ou dependências. É importante para a prática de esportes profissionais já que não registra traços no sangue. O efeito proporcionado pela energia borojoa não é semelhante à cafeína ou guaraná. Sente-se uma energia mais natural.
Aplicações e usos:
É altamente energético, com um elevado teor de sólidos solúveis e de proteínas. Possui grandes quantidades de aminoácidos e de fósforo essencial para os humanos.
Propriedades:
É uma fruta fisiologicamente maduro, tem condições excepcionais para a farmacopeia e a indústria de alimentos. O fruto é famosa por suas supostas propriedades afrodisíacas.
Provou ser eficaz em:
Infecção brônquica,
Equilibra o açúcar no sangue,
Combate a desnutrição,
Controle da pressão arterial elevada.
Aumentar a potência sexual, entre outros.
 
Não só é eficaz no combate contra algumas doenças, têm um elevado nível de aminoácido, ajuda a alimentar o corpo, especialmente para pessoas com dietas vegetarianas.
Em análises no borojoa, foi apontado como rico em elementos básicos da alimentação humana, tais como:
Ferro, cálcio, fósforo (grandes quantidades), e a vitamina C.
O borojoa é processado em diferentes formas, tais como suco (sozinho ou misturado com outras frutas), geleia, compotas e coquetel alcoólico.
Como suco recomenda-se o consumo de dois copos pela manhã.
Dicas de consumo para as cápsulas de borojoa:
Adultos: Duas cápsulas de manhã antes do almoço, uma cápsula meia hora antes do jantar, ou três cápsulas apenas pela manhã.

fonte: Saude e Dicas