ACUPUNTURA E SAÚDE

0
42

Os princípios da medicina chinesa conquistam cada vez mais adeptos. Não é para menos! As técnicas milenares ajudam a solucionar problemas que antes só podiam ser tratados com medicamentos. Dentre elas, a mais famosa é a acupuntura. Estresse, depressão, ansiedade e insônia estão na lista de distúrbios amenizados com as agulhinhas.Quem sobre de problemas de sono, como a apnéia, tem na acupuntura uma aliada e tanto. Segundo a acupunturista Thais Pamplona, o tratamento é progressivo e não causa dor ao paciente. “É possível atuar de maneira eficaz no controle de fatores de risco, como obesidade, rinite e males do estômago, pois desinflama a faringe e controla sua musculatura”, explica. As sessões são semanais e aos poucos tornam-se quinzenais, até ficarem mensais. “Os resultados têm sido promissores no caso de apnéia de grau moderado e leve. Na maioria dos casos, há ausência total de ronco e retorno do sono profundo”.Por dentro da técnicaA acupuntura é uma técnica de tratamento que consiste no estímulo de pontos determinados da superfície da pele. Dentro da concepção chinesa, as doenças são uma manifestação de desequilíbrio, e a acupuntura seria uma forma de readquirir a harmonia perdida. Há séculos a medicina tradicional chinesa (MTC) preocupa-se com o envelhecimento. Problemas como insônia, depressão, ansiedade, estresse, cefaléias, distúrbios alimentares, náuseas, vômitos. problemas respiratórios, seqüelas de acidente vascular cerebral, conseqüências do uso de quimioterápicos, dores musculares e articulares, e vícios, entre outras patologias, podem ser tratadas com a acupuntura, como terapia complementar.Na terceira idade, os resultados são surpreendentes. “A acupuntura auxilia na diminuição da dor, melhora a capacidade funcional, equilibra o sono e o humor, fortalece o organismo, melhora o convívio social e familiar, propiciando maior qualidade de vida”, afirma Thais. “Como o idoso apresenta múltiplas queixas relacionadas a vários órgãos, o médico tende a prescrever maior número de medicamentos”.O idoso pode usar os diferentes recursos da acupuntura, além das agulhas, como a moxa, a ventosa, o laser, a eletroacupuntura, o shiatsu, entre outros. A moxabustão, ou estimulação de pontos de acupuntura através de calor gerado pela queima da erva “artemísia”, pode ser indicada para fortalecer o organismo. “É usada em casos de enfermidades crônicas e de doenças produzidas pelo frio e umidade”, explica a acupunturista Thais Pamplona.A especialista lembra que não se recomenda o uso da acupuntura em pessoas muito debilitadas, fracas, desidratadas, com hemorragias severas, com crise hipertensiva ou extremamente agitadas. Entretanto, é bom ressaltar que é fundamental procurar o seu médico sempre que houver problemas de saúde. A acupuntura aliada à medicina torna-se um ótimo instrumento para otimizar o processo terapêutico.

Colaboração CarlaCoimbra